domingo, 10 de abril de 2011

O Ministro de Louvor e o seu chamado como Levita



"... Porque muitos são chamados mas poucos escolhidos..."
Mt 22:14
       
Se os ministros e músicos são “Levitas”, precisamos conhecer e entender as características do chamado dos Levitas, para sabermos como devem ser os que ministram no altar.

Tribo de Levi – Incubidos de todo trabalho no tabernáculo desde, montar e desmontar, até o cerimonial.

1- Eles não se tornaram Levitas sem o passo básico, o inicial que denominamos: CHAMADO. Algumas características envolvem este chamado que levaram os levitas a serem incubidos. Eles não foram chamados em detrimento de outros ou no lugar de outros.O chamado foi fruto ou resultado da resposta de Levi; sua resposta a Deus. (Ex 32)

Em Êxodo 32:6 -9 vemos o povo de Israel obstinado(9) numa festa corrompida(7) cultuando o bezerro de ouro. No v 17 e 18 fala de: Som do povo fora de controle( saíram da adoração para a aberração e libertinagem, profanaram a adoração). Moisés indignado quebra as tábuas da lei, derrete o bezerro até virar pó, joga sobre as águas e faz os filhos de Israel beber.(21).

Em seguida Moisés faz o desafio(25,26): “... Quem é do Senhor, venha a mim!” Ou seja, quem ainda opta pelo Senhor fique do meu lado. Somente os da casa de Levi deram um passo à frente. 

Mas em seguida, vem a prova do chamado, ou seja, a resposta do chamado tem que passar por uma forte decisão: “... – Cada um tire a sua espada, bata na porta de seu amigo, seu irmão e seu próximo”.

Chamado dos Levitas – Fruto de uma resposta, mas produto de uma decisão.

Só foram colocados no tabernáculo, porque foram chamados, mas também porque responderam, estavam dispostos até a matar pelo chamado. O que podemos entender com esta resposta? O que estiver entre o seu chamado e seu Deus, deve cair ao fio da espada!

Só pode ser considerado um Levita aquele que não deixa a sua espada na bainha quando algo se levanta entre você e o seu chamado, entre você e o seu Deus! Somos chamados para a adoração! Não devemos aceitar nada que fique entre nós e DEUS! Se algum ídolo houver, engula-o e jogue fora!

Entenda: CHAMADO – FRUTO DA RESPOSTA – FRUTO DA DECISÃO

Sou chamado a ser adorador, a ser ministro do altar, então não admitirei nada que se coloque entre mim e o meu chamado. O seu chamado depende de sua resposta e a sua resposta de sua decisão, e a sua decisão de ser contra tudo aquilo que for contra o seu chamado.

2 – Houve um chamado e a decisão de responder, e por conta da resposta houve uma SEPARAÇÃO. Nm 8.14

Separação – Período de discipulado ou experiência. Investimento que separará essa pessoa para o Ministério. Experimentada, Discipulada, Formação, Treinamento, Reparo.

Os levitas precisavam ser separados por causa da posição que ocupam no Reino. Nm 8;15-17. A separação envolve:

Purificação/Santificação – se não houver uma disposição para a purificação não pode entrar para servir. Quando alguém quer ir do átrio(povo) direto para o Santo dos Santos (toca demais, canta bem, mas nada de separação e preparo espiritual) o que acontece? Temos que puxar a corda, pois alguém morreu! Muito show e pouca adoração!

Posição – “Em lugar de”. Todo primogênito era tomado por Deus para si. Este era para Deus. Os Levitas todos eram tomados “em lugar de”.

O que sobe no altar para ministrar está no lugar de Sacerdote, entre Deus e o povo: “Em lugar de...”. É muito sério, quando Deus olha para o povo, vai olhar primeiro para quem está no altar. – Provisão, autoridade e direção (Maná, cajado, tábuas da lei).

Quando Deus olha para o povo, ele olha para o sacerdote a fim de ver Cristo nele. Se Deus não puder ver Cristo em nós, não ver o sangue, Ele não poderá descer nesse lugar. Nm8;18 – “Para não matar o povo que chega de forma indevida, pelo menos quem está no altar, tem que estar preparado, santificado, porque está no lugar de...”.

A Santidade do Levita protege o povo. O pecado do Levita libera maldição sobre o povo. Por isso vemos tantas igrejas doentes precisando de libertação, porque qualquer um sobe no altar, qualquer um impõe a mão na cabeça do povo. Não que o sujeito não sirva para a salvação, ele não serve para o altar, para ministrar.

Se o que está no altar não está separado, não está crescendo em santidade, não está em condições de estar no altar.

Purificação – Posição – Abnegação – Maturidade. Nm18:20,24

A porção do Levita não é o altar, o ministério, a fama, o reconhecimento. É o próprio Deus. O seu coração precisa ser trabalhado para não ter outra motivação a não ser o Senhor. 

Se não for assim, quando lhe faltar glória ele vai para o pecado, quando dinheiro ele vai para o mundo.

Significa ministrar da mesma forma para 10 ou 10.000 pessoas, pois a sua porção é o Senhor! 

Que a cada dia deixemos o Senhor aperfeiçoar o nosso chamado através da santificação!.

Um comentário:

  1. Muito forte esse texto, e podemos tomar esse exemplo para todas as áreas da nossa vida.

    ResponderExcluir